arco del triunfo arco del triunfo zaha hadid  
bali cóctel barcelona   zaha hadid hotel berlin
bali   metro munich
bali

Viagens Copenhaga


Turismo Dinamarca

Copenhaga, a capital do reino mais antigo do mundo, visitá-la é adiantrar-se num mundo de palácios reais e animadas ruas antigas. Conhecer a cidade é toda uma aventura, podes viajar em bote através dos seus canais ou alugar uma bicicleta e deslumbrar-te com os locais. Nada melhor que comer smørrebrød (tapas) e beber Carlsberg no Nyhavn, para depois de tanto caminhar, e para terminar uma foto com a Sirenita. A cidade de Odense, lugar de nascimento de Hans Christian Andersen, a cidade universitária de Århus, a antiga cidade de Ribe, são as visitas que não podem faltar. E por seu posto, a atracção mais internacional o castelo de Krönborg, famoso graças a 'Hamlet' de Shakespeare. E para os mais curiosos uma visita a Legoland, construída com mais de 45 milhões de ladrilhos de Lego. Há milhares de rotas que recorrem o país e milhares das actividades de ar livre: montar a cavalo, windsurfing, jogar golfe, pescar ou bronzear-se nas arenosas praias da Dinamarca.

Turismo Copenhaga

Copenhaga: Com a abertura da ponte Oresund no ano 2000, sonhada durante décadas por dinamarqueses e suecos, Copenhaga deu a mão aos seus vizinos escandinavos, para seguir cultivando-se de influências nórdicas e continentais. Com um compacto centro cheio de agradáveis edifícios históricos e uma população tolerante que ama e protege a tranquilidade que se respira, esta cidade transmite liberdade.


O que visitar em Copenhaga

Estes são os 10 lugares que não deves deixar de visitar durante um fim de semana em Copenhaga:

1. O centro de Copenhaga articula-se em torno da avenida Stroget, que nasce na Praça da Câmara Municipal ou Radhus Pladsen e recorre 1 km. e meio até desembocar na Praça Real ou Kongens Nytorv. Cada ramo da avenida Stroget adopta diferentes nomes, os primeiros dois, segundo nos distanciamos da Praça Real, Ostergade e Amagertorv, são um éden consumista, com lojas de todo o tipo. Nytorv e Gammeltorv, os dois seguintes, formam uma esplanada que une o que uma vez foram duas praças.

2. A Igreja do Espírito Santo (Helligandskirken), o templo mais antigo da cidade, foi reconstruído em estilo neoclássico depois de um incêndio no século XVII.

3. Nos arredores da doca que comunica a Praça Real com o mar foram ganhando fama durante séculos todo o tipo de personagens de ladroagem, que dotaram o sítio de uma péssima reputação. As vistosas casas de cores que rodeiam o cais fazem com que hoje nos seja difícil imaginar aquele louco ambiente portuário, no qual se movia, entre outros, o escritor Hans Christian Andersen.

4. Num extremo de Kogens Nytorv ou Praça Real encontram-se: o Palácio de Charlotteborg, um elegante exemplo do barroco holandês que foi terminado ao mesmo tempo que a Praça (1672), e o imponente Teatro Real ou Kongelige Teater.

5. Amalienborg Slot ou Palácio de Amelienborg, é a residência da família real dinamarquesa e por isso só se pode admirar de fora. A troca de guarda que se leva a cabo a meio do dia em frente ao palácio é uma ceremónia pitoresca.

6. O edifício sede do Governo Municipal ou Radhuset, é do século XIX, e desde a sua torre pode-se disfrutar das melhores vistas da capital (todos os dias 10.00 e 14.00).

7. Rosenborg Slot ou Palácio de Rosenborg, é o castelo mais ostentoso de Copenhaga, de estilo renascentista holandês. Aqui se guardam as jóias da coroa dinamarquesa que permanecem em exposição.

8. A Sirenita ou Den Lille Havfrue, esta pequena escultura continua a ser o símbolo indiscutível de Copenhaga. Embora no Verão só está flanqueada por ondas de turistas, não se pode deixar de visitá-la e tirar uma fotografia junto a ela.

9. Nycarlsberg Glyptotek (3ª a Domingo 10:00 às 16:00, 9€), este museu continua a ser ignorado em muitos guias de viagem, mas é o mais interessante de Copenhaga. Destaca-se pela sua colecção impressionista, e sobretudo, pela sala de Gauguin, com alguns dos melhores quadros da sua época de Tahití. No salão de Té servem uns doces espectaculares.

10. Christiania, este fascinante projecto de uma sociedade revolucionária e livre, fez célebre Copenhaga como a terra da liberdade e da igualdade. Embora actualmente, seja mais um bairro feio e o lar dos camelos (provedores de droga) da cidade; a parte das casitas perto do rio é onde habitam os verdadeiros cristãos. Nesta zona as casas estão bem pintadas e continuam ter um horto biológico, aproxime-se e observe o que resta de um bonito sonho.


Restaurantes. Onde comer em Copenhaga

Se decidiu recorrer aos países nórdicos, isto te soará repetido, mas é que os preços em Copenhaga são altíssimos. Quando procurares alojamento pensa e reserva um com cozinha, para que possas preparar a tua própria comida. O melhor são os restaurantes tipo buffet, onde se pode comer até encher-se, recomendamos-te: Samos (Skindergade 29) e Den Gronne Kaelder (Pilestaede 48). Os restaurantes chineses preparam uma coisa chamada o “Chinesse Box” um pacote que reúne três especialidades e que é para levar. Também se pode optar pelos postos de shawarma, salsichas ou smorebrod (fiambre local de rena). Convém recordar que nesta cidade se janta a partir das 17:00 e até às 21:00.

Vida Nocturna Copenhaga

Falar do preço dos copos e das entradas aos locais nocturnos, reservam as suas vontades de festa para quando visitem Espanha. Em Copenhaga pode ser muito doloroso sair da festa. Os dinamarqueses continuam a sair tarde e os bares estão desertos até à meia noite. Lhes recomendamos Vega (Enghavevej 40), Rust (Guldbergsgade 8) e Blue Note (alter-hour en Studiestraede 31).

Compras em Copenhaga

Se querem ir de compras e pensam que o seu bolso pode resistir, o melhor é dar um passeio pela avenida Stroget.

 

Prepara a tua viagem a Copenhaga:

 



















Copyright 2008 by TyM Viajeros S.L. - A travel media company.